quarta-feira, 4 de agosto de 2010

REAÇÕES HUMANAS, UM GRANDE QUEBRA-CABEÇA!


Reações humanas, um grande quebra-cabeça!

Quero compartilhar com vocês uma reflexão pessoal que tenho feito por alguns dias sobre as reações humanas. A palavra idiossincrasia é no mínimo estranha para muitos, de modo simples ela quer dizer: a maneira de ver, de sentir e de reagir própria de cada pessoa.
Porque será que as pessoas na maioria das vezes reagem de modo muito inesperado ao que em tese estávamos esperando? É necessário aprendermos a cada dia, que no contexto social e cívico em que vivemos lidamos com pessoas e não robôs programados. Se pudéssemos moldar o modo de reação das pessoas, certamente faríamos. Cada ser humano possui características que lhe são muito peculiares, sendo assim, devemos estar sempre prontos para o inesperado. Que colocação mais estranha não acha? Pois bem, é interessante usarmos a empatia, isto é, a capacidade de se colocar no lugar do outro, para ao menos tentarmos compreender as reações expressas. Um dos maiores desafios da vida humana consiste justamente em nos relacionarmos com o diferente. Essa dificuldade de todos nós; é sem dúvida uma das maiores falibilidades humanas. Porque alguém responde o meu Bom Dia de modo deselegante? Porque o entrevistado não me dá respostas prontas? Porque o vitimado nem sempre reage de modo vingativo? Porque a má educação nem sempre é retalhada com berros e gesticulações? Será que de fato nos matriculamos na escola do equilíbrio? Pode ser.
Tive uma experiência interessante por estes dias, que vou contar. Dei uma determinada sugestão a uma estimada amiga e ela reagiu de uma maneira muito inesperada, foi bastante incisiva quando se dirigiu a mim, com o rosto um tanto avermelhado. Fiquei pensando procurando entendimento daquilo. Após uma busca no inconsciente, entendi. Ela tinha algo interiorizado fazia dias, mas se conteve até o momento que eu abri um precedente para que ela pudesse se expressar. Achei muito rica esta experiência, pois conclui que realmente é cabível a utilização da empatia para entendermos algumas falas e procedimentos humanos, antes de desencadearmos uma desavença.
Como disse Sócrates: ´´ Eu só sei que nada sei ´´.
Vivendo e aprendendo, esta é a grande dinâmica da vida!

Anderson Flávio




Um comentário:

FATOR29 disse...

Já dizia o sábio "o indivíduo só é induvíduo quando se relaciona" e se relacionar implica muitas vezes em "engolir sapos", abrir mão, considerar, o que hoje em dia é muito difícil pois vivemos uma sociedade adolescente (ou emergente) que vive uma autoafirmação. E isso também se reflete na igreja. Pois bem, empatia para alguns casos, misericórdia para outros tantos e graça sempre!!